domingo, 17 de dezembro de 2017

sai um abafo e um desabafo

domingo, 17 de dezembro de 2017
Cá estamos outra vez em contagem decrescente para mais um Natal e por mais um ano consecutivo não sinto o espírito, mas ainda tenho esperança... era uma época que eu gostava muito. Fazer a árvore ao som de músicas de natal, enfeitar a casa, pensar nas ementas (a consoada e o almoço de Natal são sempre na nossa casa), pensar nos presentes que cada um gostaria de receber, ver a felicidade dos meus filhos a literalmente rasgar e arrancar os papéis dos embrulhos para verem o que estes ocultavam, fingir que o Pai Natal chegava depois da consoada atirando o quadro da luz abaixo para os miúdos sentirem a borboleta no estômago e correrem feitos loucos para a árvore onde, por magia, tinham aparecido as prendas, etc, etc, etc. Mas já não é assim, primeiro porque os miúdos já são todos graúdos e depois a azáfama da época já me faz muita confusão. Os sítios sempre cheios, tudo louco às compras, consumo, consumo, consumo desenfreado, baaahhh.  Peço-vos tantas desculpas por este meu desabafo, mas não sou capaz de dizer coisas bonitas sobre o Natal só porque fica bem no blog, impensável. Obviamente que podia ter optado por não dizer nada sobre o assunto, mas apeteceu-me. Lamento muito por não conseguir dizer grande coisa sobre a época, isto do Natal nos últimos anos irrita-me, pronto. Nem me reconheço, acreditem que era mesmo uma das épocas do ano que eu mais adorava viver. Este meu sentir é muito recente e sei que se prende com recordações menos boas que vivi nos últimos anos e aquela magia que a época parecia transmitir-me, desvaneceu-se.  Mas atenção, nem tudo está perdido, existem sempre aqueles bons momentos dos quais tento tirar o maior partido, e é a eles que me agarro para viver o momento. Há as rabanadas (adoro!), os dois dias à mesa com a família e o aconchego de estarmos sempre juntos, com mimos, com conversa, com as gargalhadas a rasgar o ar, as sessões de filmes e os constantes escorropichar e trincar, porque a mesa nunca se levanta e está sempre posta.
E sabem que mais, escrever estas palavras soube-me bem e acreditem que me ajuda a exorcizar este sentimento de sobrolho franzido que a época me tem trazido ultimamente. Mesmo assim, fiz a árvore de natal com os meus R's todos, tenho já quase tudo preparado para o fim-de-semana em família e ainda fiz uns crochets natalícios, como este postal que há-de seguir para alguém. Afinal, nem tudo está perdido.
.
Desabafo feito, passemos ao abafo. Fiz um casaco para mim, preto. Não, não é preto porque deixei de ver cor, nada disso. É preto porque é uma cor que também me faz muito bem aos olhos e uma das eleitas no meu guarda-roupa. Há tempo que pensava fazer um casaco confortável, quente e se possível bonito. Primeiro pensei em tricotar um, mas quando fui à loja para escolher a lã folheei um catálogo e encontrei um modelo em crochet que me agradou bastante. Preto não era a cor do original, mas consegui idealizá-lo.

 .
Usei sete novelos Maxi Merino das lãs Katia, e trabalhei-o com uma agulha nrº 8. Tive que fazer pequenas alterações para adaptar melhor o modelo ao meu corpo. Digamos que fiz qualquer coisa entre um S e um M. Et voilá, fiquei com um casacão preto, que já usei hoje à tarde quando fomos a uma feira de natal e confirmo, além de confortável é muito quentinho. Está aprovado.
Até ao final do ano já só falta terminar a Manta de Outono cujos acabamentos me têm dado que fazer e que pensar, mas cheguei a bom porto, acho. Em breves dias estará por aqui. E embora eu ande meio desmotivada com a época, voltarei também para vos desejar boas festas. Até lá, já sabem, desejo-vos o melhor dos vossos sonhos.


Até já,
Ana Lado B


segunda-feira, 27 de novembro de 2017

as golas coloridas

segunda-feira, 27 de novembro de 2017
Após uma fase sem trabalhos novos terminados, as golas coloridas fazbemaosolhos são as primeiras a chegar ao blog. A primeira que fiz nem teve tempo de pousar, mal a coloquei no blog voou! Fiz mais uma, que também já voou e estas quatro terminei-as este fim-de-semana, ficando também prontas para voar.






.
Foram trabalhadas com fio Miltons, da B.M.G.affinitas, e com agulha nr.6. É um fio mais espesso do que o que usei na primeira que fiz (que surgiu porque eu queria aproveitar uns novelos que tinha cá por casa) mas gosto ainda mais do resultado com este fio. Estas medem cerca de 1,60m, ou 0,80m dobradas ao meio, conseguem dar duas voltas ao pescoço, são extremamente maleáveis e confortáveis. Fiz quatro versões, todas diferentes e, caso não fossem os outros projectos que tenho em mãos para terminar, apetecia-me fazer mais uma série delas, todas com conjugações de cores diferentes. São viciantes de se fazer!!! Se souberem crochetar podem fazer a vossa gola colorida, só têm de seguir as instruções que publiquei aqui.



.
Já as olhei tantas vezes e chego sempre à conclusão que gosto de todas sem excepção. E vocês, de qual gostam mais? Tenho apenas uma de cada, caso desse lado tenham interesse em ficar com uma destas meninas contactem-me por email (encontram o endereço do lado direito do blog), posso adiantar que são muito acessíveis, visto serem de desenho de execução rápida e fio económico.
Estou satisfeita por conseguir publicá-las ainda hoje, tinha outros planos, mas como as voltas me foram trocadas nem pensei duas vezes, golas para o blog, já!
Vou passar ao próximo projecto, que também não há-de tardar a sair da cesta para vir aqui parar.
Desejo-vos uma excelente semana.


Até já!
Ana Lado B


quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Memo # do que passou e aí vem

quinta-feira, 23 de novembro de 2017
.
Nem sempre ausência é igual a desapego. Não tenho conseguido estar por aqui sempre que me apetece e apetece-me muitas vezes, mas  falta de tempo não é a razão, apenas tenho tido outras prioridades. O fazbemaosolhos não publica trabalhos novos há umas semanas, o último que vos mostrei foi a gola colorida, mas não quer isso dizer que o meu Lado B ande parado, muito pelo contrário, os fios e as agulhas têm-me dado que fazer. Acontece que de vez em quando é preciso fazer uma pausa nas publicações, deixar o blog respirar e deixar que quem o visite desfrute do que já cá está e enquanto isso, do lado de cá avanço com os novos trabalhos. Raramente me dedico a peças muito pequenas e portanto tudo o que faço é moroso, além de que nem sempre corre como desejado, por vezes entra-se no ritmo faz-desmancha e quando engata torna-se difícil sair de lá. Foi precisamente o que me aconteceu com dois dos projectos que tenho em mãos. Um deles teve uma longa fase de faz, desmancha, faz, desmancha, experimenta, faz outra vez, agora acabou o novelo e a cor está esgotada, espera, avança. Depois surgiram mais uns trabalhos sem eu estar a contar, encomendas, o que me deixa muito entusiasmada embora preocupada porque quando assim é os prazos para execução passam do deixa andar para  tem de ser feito e já. Há ainda um outro projecto que está quase concluído faltando apenas unir todas as suas partes e finalmente, the last but not the least, ando a terminar mais golas coloridas. A parte boa é que proximamente virá uma fase próspera em publicações com projectos novinhos e terminados. Gosto de criar memorandos dos trabalhos que vou fazendo e no último, este, falei-vos de três novos trabalhos. Saiba-se que a manta granny square está igual, mas penso terminá-la ainda este ano. Os novelos artist das lãs Katia começaram a ser transformados numa camisola para mim mas desmanchei, não gostei do resultado e nada tem a ver com o fio, que é bom e muito bonito, prende-se com o que idealizei que na mente parecia perfeito e depois de experimentado... baahh! decidi não fatigar mais o fio, guardei-o e aguarda por melhores dias. Como fiquei, para já, sem camisola, decidi que fazia um casacão e fiz. É o tal trabalho, também referido acima, que falta apenas unir. A Manta de Outono avançou bastante e é o tal projecto que passou pela fase faz-desmancha e afins. Houve um único trabalho que terminei, um gorrinho de bebé em tricot, é verdade, tricot! Participei na campanha  XXS-XXL Pequeno no Tamanho, Grande no Coração, um desafio que nos foi lançado pela Filipa no qual quis muito participar, não só pela missão da campanha mas porque também fui mãe de um bebé prematuro, a minha filha, agora a caminho dos 26 anos, que felizmente nasceu muito saudável mas apenas com oito meses de gestação, atirou o último mês ao tecto, a rapariga estava com pressa de sair e conhecer o mundo. Sei o que é querer vestir os pequerruchos sem que pareçam literalmente entrouxados, com roupa a sobrar por todos os lados. Na altura tive muita dificuldade em encontrar peças de roupa que lhe servissem, mas lá resolvi o assunto.
.
Estou destreinada, além de já não fazer tricot habitualmente, não pegava em agulhas nr.3 há anos. É sabido que eu não gosto de trabalhar com fios finos mas no caso tinha de ser, usei merino4us da Rosários4 e baby cashemiro da Debbie Bliss. Só tive tempo para fazer um gorro, as botinhas já iam sair fora do prazo de entrega. O trabalho não ficou perfeito, mas seguramente irá aquecer um bebé muito pequenino e o coração dos seus papás. Resta-me terminar o que tenho em mãos e espero já na próxima semana aqui voltar com um dos novos projectos. Bom, e apesar de me dividir na gestão do meu tempo, o certo é que tenho o meu Lado A à perna, a pedir que lhe dê muita atenção, e eu dou.
É tudo uma questão de ritmo, siga!
Tenham um excelente final de semana.


Até já!
Ana Lado B


sábado, 4 de novembro de 2017

Mais felicidade aos molhos!

sábado, 4 de novembro de 2017
Quando hoje me apercebi que a minha gola colorida foi escolhida pela Annemarie, não resisti a partilhar convosco a minha felicidade por ver mais um trabalho fazbemaosolhos destacado na Link Your Stuff . Uma vez mais, obrigada Annemarie por contribuíres para momentos de grande alegria na minha pessoa :)
É tão bom saber que o que faz bem aos meus olhos também inspira outros, é uma sensação extraordinária e muito gratificante.

 Fonte: Link Your Stuff
Já viram como a gola colorida está tão bem acompanhada por brinquedos de criança. Entrem no link que está na legenda e ficam a conhecer as autoras dos outros projectos.
A gola que vêem na fotografia já não está comigo, outros olhos a namoraram e quiseram ficar com ela. E como entretanto já chegaram mais pedidos de outros olhos igualmente encantados, já estou a fazer mais golas, intercaladas com outros trabalhos que ando a terminar.
Aí desse lado se quiserem uma já feita e prontinha a usar, enviem-me um email e conversamos.
Foi precisamente na publicação anterior a esta que vos mostrei a gola e deixei instruções para a poderem reproduzir, vejam aqui. Experimentaram o ponto? é muito simples e divertido de se fazer. As novas golas estão a ser trabalhadas com um fio diferente do anterior,  mas o ponto funciona igualmente bem. Ainda não tenho nenhuma terminada, mas mostro-vos assim de fugida só um pedacinho de uma começada para verem o efeito do trabalhado com agulha nº6.
.
As publicações aqui no fazbemaosolhos têm sido mais espaçadas e não é propriamente falta de tempo ou de projectos para vos mostrar, tem mais a ver com o meu foco no momento, anda mais virada para o meu Lado A, tem de ser. Contudo, ando a preparar novos posts e já tenho projectos quase terminados para poderem ser partilhados aqui, convosco. A seu tempo tudo virá aqui parar e eu só tenho a agradecer as vossas visitas a esta minha outra casa, sítio onde gosto tanto de vos receber.
Bem hajam e tenham dias muito felizes.


Até já!
Ana Lado B

domingo, 22 de outubro de 2017

gola (muito) colorida

domingo, 22 de outubro de 2017
Hoje terminei uma peça que já estava feita desde a altura em que fiz a manta mesclada, esta aqui. Bom, a questão é que estou mesmo determinada a acabar com estes novelos de fio fino. Quando terminei aquela a que agora apelido de Manta Mesclada (porque é!), alguns novelos ainda ficaram com uma quantidade considerável. Desses, escolhi sete cores que misturadas agradaram aos meus olhos. Lembrei-me de fazer um cachecol, achei que as cores assim o pediam. Hoje quando lhe peguei para rematar as pontas, decidi que seria uma gola e uni os extremos. Ia acabar enrolado ao pescoço e ia, portanto assim torna-se mais fácil de pôr e tirar.

 .
Ficou bem gira. Colorida, descontraída, para usar naqueles dias em que apetece COR!



 .
Como o fio é fino, para que não ficasse com um ar tipo "tripa", fiz-lhe um ponto texturado que acabou por criar um efeito bem mais engraçado do aquele que eu estava à espera. Deixo-vos com uma explicação de como fiz a gola para poderem experimentar. Isto é um daqueles projectos que se fazem durante um fim-de-semana, é muito rápido.

material: 7 cores do fio coral da Miltons* | agulha de crochet nº4 | agulha para coser lã | tesoura
* este foi o fio que usei, mas podem adaptar a outro que tenham. Não guardei as cintas dos novelos aaahh mea culpa... não consigo dar-vos os códigos das cores, mas tanto podem ser estas, semelhantes ou outras, depende do que os vossos olhos gostam.

montagem: eu comecei com a cor mostarda; 42 pontos de cordão + 3 pontos (que conta como um ponto alto); virar o trabalho.

1ªcarreira: crochetar um ponto alto na 4ª malha da carreira anterior; seguir até ao fim com um ponto alto em cada malha da carreira anterior; fica um total de 43 pontos altos; virar o trabalho.

2ªcarreira: crochetar 3 malhas de cordão (correspondem ao primeiro ponto alto da carreira), seguir com um *ponto baixo, um ponto alto*, repetir de * a *. A carreira vai terminar com um ponto alto; virar o trabalho e repetir as carreiras 1ª e 2ª até atingirem o tamanho que pretendem.

Por cada cor fiz 24 voltas/carreiras, num total de 168 voltas.
No final, pegam na agulha de coser lã (sem bico) e unem as duas extremidades.

A minha gola ficou com 1,20m de comprimento. Como vos disse, podem fazer gola ou se preferirem, não cosam as pontas e façam um cachecol e até podem acrescentar umas franjas.

.
E de uma montanha de novelos, já só resta o que vêem neste saco. As opções já estão muito reduzidas mas vos garanto que destes restos ainda há-de sair mais qualquer coisa. Espero ter-vos ajudado a dar uma ideia de como, de forma extremamente simples, se podem despachar de alguns novelos que achem que já estão a ocupar espaço e como é simples transformá-los em peças bonitas que podem usar ou oferecer e fazer as alegrias de quem recebe.
Tenham dias felizes!


Até já
Ana Lado B


quinta-feira, 19 de outubro de 2017

sobre estes dias...

quinta-feira, 19 de outubro de 2017
Ainda me custa escrever estas linhas, porque as imagens não me saem da cabeça, não propriamente as que a seguir descrevo mas as que vi à posteriori. No domingo passado estávamos a acampar no nosso retiro, porque o tempo uma vez mais nos convidou a aproveitar a natureza, e a determinado momento eu e o meu filho mais velho decidimos ir uns minutos até à entrada do parque para podermos apanhar sinal de net. Estivemos o tempo suficiente para que ele trocasse umas msgs com os amigos e eu dar uma olhadela ao instagram. Isto não demorou mais de quinze minutos e levantámo-nos da mesa para irmos ter com o pai R e o pequeno R à caravana. De repente, e foi mesmo assim, de repente, uma monstruosa nuvem negra tapou o sol, que parecia uma verdadeira bola de fogo, e o vento começou a soprar, forte. Olhámos um para o outro e comentámos que vinha aí tempestade e que finalmente ia chover . Tirámos umas fotos, eu publiquei umas no instagram, certa de que se tratava da chegada de uma tempestade para despedida do Verão de Outono. A dita nuvem apareceu do lado do mar e o único cheiro que o ar nos dava era o da maresia. Chegados a casa, a certa altura liguei a tv porque queria ouvir notícias. De imediato me apercebi que a monstruosa nuvem negra que cobriu o céu naquele final de tarde não era uma bem-dita carga de água que se anunciava, mas sim o efeito de um país a arder. Horror. E a primeira coisa que me veio à cabeça foi: outra vez???!!! que é isto???!!!
E lá estávamos nós a assistir em directo à devastação de vidas e floresta.
Tenho pensado no que é que posso fazer e fico com uma sensação de bloqueio. Isto é repetido e é absurdo que o seja e nunca, jamais, devia ter acontecido, nem uma, nem outra vez. Tenho vários amigos que são daqueles lugares. Uns estiveram lá a lutar pelas casas e vidas dos pais, outros pela suas próprias vidas e pelos seus bens. Relatam-me casos de quem tudo perdeu, tudo mesmo, não lhes restando nada, nem sequer o ombro do ente mais querido para poder deitar a cabeça e sentir algum consolo. Nada. A sensação de impotência é tão grande que sufoca. Quando o primeiro episódio se sucedeu ficámos todos com a certeza de que era uma tragédia que jamais podíamos ver repetida, afinal, apenas passaram quatro meses e agora isto.
Na última publicação usei a expressão "virar a página", mas para outro assunto, muito leve. Pressinto que por vezes seja muito difícil virar a página para poder continuar, sim, apenas pressinto porque não consigo sequer imaginar o que seja viver tal atrocidade. Virar a página. Há que ter muita coragem para o fazer, mas conseguindo-a não podemos virar para voltarmos a encontrar o desespero, a angústia, a impotência e o vazio. Não queremos cair na rotina de solucionar o problema com sacos de roupa, pacotes de comida ou programas televisivos para angariação de fundos. Queremos ver as responsabilidades assumidas e a certeza de que de uma vez por todas as medidas são tomadas, TODAS, para que jamais nos obriguem a assistir e a viver o que não queremos viver.
São dez da manhã, estou a terminar estas linhas e a seguir vou preparar um saco com roupa para ser entregue este fim-de-semana pelas mãos de uma amiga a famílias que ela conhece, gente devastada que de momento apenas conta com a solidariedade e a compaixão de cada um de nós...
Chega!


Até já
Ana Lado B



sábado, 14 de outubro de 2017

virar a página # memo de Outono

sábado, 14 de outubro de 2017
inspiração de Outono  

a árvore dos meus dias

as árvores que me protegem 

Preciso de virar a página e sentir o Outono. Os dias de sol quente vão permanecendo mas ele já está aí, sinto-o, embora tímido. As árvores em frente à minha casa foram podadas, somos acordados por manhãs de nevoeiro intenso e presenciamos os finais de tarde e noite envoltos na neblina. As noites já não dispensam o dito casaco, o vento quando sopra já arrepia a pele, o chão já anda coberto de folhas, os assadores de castanhas andam nas ruas. A chuva, essa...  já devia andar por cá mas ainda não chegou e faz-nos tanta falta.  Nem oito, nem oitenta, muita chuva entedia-me, mas não haver nenhuma preocupa-me. Quero ver as alfaces e as couves, tudo o que conseguimos plantar este ano no quintal, a crescerem viçosas à conta da chuva. Tenho saudades de trabalhar com lã, daquela que só se aguenta nas mãos e no colo quando está frio. Tenho saudades de sentir o cheiro constante do forno na casa. Quero guardar os edredões finos e acrescentar as minhas mantas às camas. Quero que o pai R volte a fazer pão, algo típico cá em casa durante as estações frias. Apetece-me mais Outono. Decidi não tardar mais e já comecei a dar um lamiré outonal ao que vou fazendo, e quero mostrar-vos, numa espécie de memo de Outono. Comecemos por ligar o forno mais vezes, para surpreender a família e o nosso palato.
.
Bolachas de manteiga. São deliciosas e acompanhadas por um café de cafeteira, ui, são de comer e chorar por mais. A receita vi-a num dos episódios da Mary Berry's. A Sra cozinha muito bem, mas atenção que não poupa nas calorias, são receitas bastante tradicionais, mas muito boas. Já experimentei algumas, todas deliciosas, mas só dá para fazer de vez em quando, como estas bolachas carregadas de manteiga. Mas malta, são tão deliciosas! Para mim representam conforto, acompanhadas com café acabado de fazer (agora até suspirei). Vejam a receita aqui. Como vão perceber, acrescentei umas nuances às bolachas. A senhora apresenta-as em três sabores, limão, amêndoa e pepitas de chocolate. Reproduzi as de limão, mas sem as envolver no açúcar mascavado. Em vez de pepitas, que não tinha em casa, juntei granulado de chocolate, daquele com que se enfeitam os bolos, resulta na perfeição. Substitui a amêndoa por granola, que é feita por mim, um destes dias dou-vos a receita. Digo-vos, esta mistura da granola nas bolachas dá-lhes um twist fantástico, ficam absolutamente BOAS! experimentem porque vão gostar.
.
Estes novelos, o artist da Katia, são lã merino. Vão ser transformados numa camisola para mim. Tenho umas ideias, mas ainda não me decidi pelo modelo, apenas imagino algo liso, sem pontos de fantasia, o tinto mesclado já é suficiente para criar efeitos.

.
O projecto da primeira foto tem andado pelo instagram. Entretanto já cresceu e está quase a metade do tamanho final. Está a dar-me um gozo especial, porque o estou a criar de raíz e também porque tem uma pequena história que será contada quando fizer a publicação dedicada ao projecto. Na foto a seguir, pois que não resisti aos novelos que já vos tinha mostrado aqui, apresento o início de mais uma manta granny-square. Adoro-as, acho-as sempre lindas, espectaculares e diferentes, nada a fazer.
E é isto, depois desta partilha sinto que entrei oficialmente no Outono.
Tenham dias de Outono muito felizes!


Até já
Ana Lado B
.

domingo, 8 de outubro de 2017

Então, Outono?!

domingo, 8 de outubro de 2017
Catitano, da Rosários4
A ideia para hoje era outra publicação, uma sobre o Outono, mas... onde é que andas Outono???!!!
Com este calor não consigo fazê-la, não há espírito. Ontem fomos ao mercado e comprámos sardinhas para irmos hoje para o parque de campismo fazer aquela que será a última sardinhada do ano, espero bem. Sim, porque comer sardinhas em Outubro e com calor, não me passou pela cabeça. Normalmente, é mais é castanhas! Estou ansiosa pelo Outono, é a minha estação, gosto muito de a sentir. Aaah o cheirinho da terra molhada, que saudades. A chuva tem que chegar, está a fazer muita falta.
Mas ok, bora lá à sardinhada e quiçá um mergulho na praia, siga!
Apesar de tudo, aqui fica a minha nova paleta com um cheiro a Outono e espero muito sinceramente voltar aqui em breves dias com a chuva lá fora... e nublado, e o cheiro a bolos e assados dentro de casa... e essas coisas todas a que temos direito nesta altura do ano.
Contudo, e sobretudo para quem adora o calor, aproveitem bem.


Até já!
Ana Lado B


quinta-feira, 28 de setembro de 2017

novelos a mais? então, faço uma manta!

quinta-feira, 28 de setembro de 2017




Se tenho novelos a mais é fácil de concluir o seu destino. Amigo não empata amigo e novelo não empata novelo, os novelos estavam a ocupar uma gaveta que eu estava decidida a esvaziar para poder ganhar espaço para outros novelos (!) isto não pára. Tens novelos a mais? gasta-os! Tens espaço para novelos? compra!...
Sabia ter material suficiente para uma manta. Não posso dizer que fiz uma scrap blanket, os novelos estavam abertos, é certo, mas estavam quase intactos. Consegui uma manta de 1,20m x 1,20m aproximadamente, pois não é bem quadrada, embora pareça. O fio é fino, indicado para agulha 3,5. Não uso deste fio, Coral, razão pela qual andavam na gaveta há tanto tempo, uso sim o Miltons, que é o irmão deste, com a mesma paleta de cores mas mais espesso, ideal para algum tipo de mantas que gosto de fazer. Como não gosto de trabalhar com fios muito finos pensei de imediato em dobrá-lo e como queria suavizar as cores e dar luz à peça misturei branco com todas as outras cores, e foi a única cor que tive de comprar. Portanto, manta trabalhada a dois fios, com agulha 6. Ficou um trabalho de baixo orçamento e, aos meus olhos, com um excelente resultado final.

aqui ainda em execução



.
Com certeza que já repararam que não tem barra. Terminei-a e gostei de a ver assim, a cru.


.
Quanto aos novelos, embora quase todos gastos ainda fiquei com algumas cores, e agora sim posso dizer que são restos, excelente oportunidade para criar mais uma peça. Nada se perde, tudo se aproveita.
Dias felizes!


Até já
Ana Lado B


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

capa para banco mammut

sexta-feira, 15 de setembro de 2017
Lembram-se da pilha de trabalhos da última publicação? Terminei mais um dos projectos - uma capa para um banco Mammut. São preferidos de muitas crianças, mundialmente conhecidos e encontram-se em milhões de casas por esse mundo fora. Em Março deste ano fiz a primeira capa para estes bancos. Foi um sucesso, as cores vibrantes não passaram indiferentes aos olhos de quem as viu. Como aqui por casa existem dois bancos mammut, que foram assento dos meus filhos quando eram pequeninos, fiz outra, também com cores bem vivas, que é para alegrar a malta!



.
A primeira capa fiz com um fio da Coats - Patons "Knit'n'Save - que descobri numa caixa, acho que já nem existe disto no mercado, não sei. A capa que terminei agora crochetei com o Miltons, também acrílico. Quero muito reproduzir o gráfico deste desenho, será um dos meus próximos desafios. Não quero comprometer-me com timings, mas espero num futuro próximo conseguir concluí-lo. Vai queimar-me muitas horas e também os olhinhos... quando trabalho os gráficos, a partir de determinada carreira já me troco toda e muitas são as vezes que tenho de apagar e recomeçar, faz parte.
Tenho ainda um outro projecto que quero terminar antes do Outono começar. Sim, porque para celebrar a chegada do Outono já ando a experimentar umas coisas! Espreitem aqui, já lá andam novas ideias.
E vocês, têm bancos mammut aí por casa?


Até já
Ana Lado B


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

do que se vai passando por aqui...

quinta-feira, 14 de setembro de 2017
.
Ainda sobre as férias, que já vão tãaao longe, partilhei convosco umas fotos que tirei em São Pedro de Moel. Este ano acabámos por não descer tanto quanto gostaríamos, não fomos à maravilhosa e revitalizante costa alentejana... estava nos planos, queríamos muito, mas não deu. Quando chegámos a Almada apercebemo-nos que tinhamos de ficar por lá, os meus pais precisavam de apoio e assim foi. Mas regressemos a São Pedro de Moel. É um sítio absolutamente lindo, na orla do Pinhal de Leiria, com praias e paisagens magníficas e um clima que pessoalmente me agrada muito. A parte ainda mais extraordinária é que os meus sogros mudaram a sua casa mobile para um dos parques de São Pedro de Moel, o que quer dizer que de futuro podemos ir para lá passar belíssimos fins de semana. Yes!!!
Desde que cheguei a casa, e depois de ter recuperado daquela malfadada maleita, tenho andado a organizar as ideias. No Lado A estou a arrancar a todo o vapor e aqui no Lado B tenho uma lista de tarefas e ideias que quero concretizar. Acho que vou lançar uma petição para que o mês de Setembro passe a ter dias com 48 horas. Era o que me dava jeito para conseguir cumprir com as minhas metas para os dois lados. Estão a ver a foto lá de cima? Quase tudo trabalhos para terminar... posso dizer-vos que um está já terminado, aguarda por sessão fotográfica, outro tem ainda fecho por colocar (ui,ui,ui), outro aguarda que lhe remate as pontas, outro provavelmente terá de esperar pelo próximo Verão e, ah, finalmente, outro foi concluído e entregue - o Poncho Didi.
.
Eu sei... a foto é péssima :( ficou a léguas do que eu tinha imaginado fazer, foi tirada à pressa em cima de um divã (durante as férias) enquanto a avó da pequerrucha tocava à campainha, vá lá que o colchão tinha umas bolinhas que sempre ajudaram a destacar a peça, mas a imagem não faz jus ao resultado final, de todo. Mas nada de lamentos, em breve vou fazer mais ponchos didi e terei todo o tempo do mundo para os fotografar em condições. O fio que usei neste poncho é um anti-alérgico da Brancal, o Le Petit. O modelo adaptei-o de um dos trabalhos do livro da Nicki Trench - Crochet de Palmo e Meio. Um modelo simples, em granny square, que eu tanto gosto.
Por agora, é isto. Já ando a preparar-me para o Outono, a minha estação predilecta. Afinal de contas eu nasci com o Outono e não tarda nada estarei a festejar os meus quarenta e nove... ui,ui,ui, isto já mete respeito...
Este post surgiu só mesmo para estar um bocadinho convosco. Volto em breves dias com novidades!
Bem hajam pela companhia que me fazem <3



Até já
Ana Lado B


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Setembro = regresso

quinta-feira, 7 de setembro de 2017



.
As fotos que aqui partilho fazem parte do registo de um dos nossos dias de férias, um final de tarde que se revelou nublado mas igualmente belo. O local, a nossa primeira paragem, São Pedro de Moel.
Férias acabadas, malas desfeitas e energias repostas para a nova época. Chegámos na passada segunda-feira à noite e terça logo pela fresquinha começámos a trabalhar cheios de vontade. Quarta-feira tive imediatamente direito a uma virose que me  deixou de cama com a sensação de que estava a definhar... lá se foram as energias renovadas que trouxe comigo das férias. Se calhar tinha era de ter ficado sossegadinha, de férias! Fora de brincadeiras, não percebi o que originou tal coisa, só sei que bateu rápido e passou depressa. Hoje sinto-me melhor mas com a sensação de ter feito a maratona, sem força nas perninhas. Felizmente é raro, mesmo muito raro estar doente e sempre que estou concluo rápidamente que não tenho vida para isso. Ninguém tem, não é verdade? Agora é hora de adaptação de ritmos, sim, porque sair de um ritmo onde apenas o lazer tem lugar e passar para um outro, onde os timings têm de ser respeitados e a cabeça começa a rolar a mil à hora não se faz de um dia para o outro. Provavelmente o que me aconteceu foi o meu corpo a dizer-me Hei, vai com calma! Sim, porque afinal de contas uma pessoa já não vai para nova. Daqui a duas semanas ficarei a 365 dias dos cinquenta... aaahhhh!!!
A expressão devagar se vai ao longe encaixa na perfeição e nada de stresses, não nos fazem falta nenhuma. Há que ir com calma, já não se pode subir a escada de uma vez só, mas degrau a degrau. Apesar de ter a sensação de ter levado um enxerto de porrada, sinto-me cheia de vontade para trabalhar. As ideias são muitas, os planos são alguns e veremos o que a nova época reserva para os meus dois lados. Durante as férias desliguei-me das tecnologias, apenas o telemóvel se manteve ligado para receber alguns telefonemas e msg dos amigos e família. Mas por curioso que possa parecer, também me desliguei dos crochets, praticamente não lhes peguei. Levei comigo dois trabalhos para terminar, mas apenas peguei num deles, o poncho Didi, que terminei, entreguei e que vos mostrarei num próximo post. Para já, no que respeita a este meu Lado B vou organizar algumas ideias e espero voltar aqui em brevíssimos dias. Até lá, desejo-vos um final de semana muito feliz.
Eheheh, já tinha saudades disto!


Até já 
Ana Lado B



Faz bem aos olhos | Crochet - Crafts - Lifestyle © 2014