quarta-feira, 29 de abril de 2015

As minhas primeiras!

quarta-feira, 29 de abril de 2015
Após várias experiências com resultados catastróficos, diga-se, finalmente consegui chegar a uma solução eficaz. Apresento-vos as minhas primeiras etiquetas! yeeaahh


Estou contente com estas meninas. Gosto assim, simples, sem farnicoques. Não gosto de etiquetas que roubam a atenção aos trabalhos que identificam. Assim, lisas, numa fita de algodão de cor crua parecem-me perfeitas. Pelo menos enquanto não mudar de ideias... eheheh
Conhecem o processo do papel transfer? Foi pelo que optei por ser simples e fácil de fazer em casa.

Deixo-vos aqui um pequeno DIY. Espero que ajude a quem não conheça o processo ;)


Escrevam, desenhem, o que pretendem que apareça nas vossas etiquetas. Pessoalmente, como só pretendia texto formatei-o no word. A seguir imprimam mas antes atenção a algumas indicações: o papel transfer não deve, nem sei se pode, ser impresso numa impressora a laser. Temos de usar uma impressora a jacto de tinta. Antes de imprimirem o documento escolham no quadro de configurações da vossa impressora o modo de inversão da imagem. Reparem na foto acima, o texto apresenta-se "ao contrário". Não se preocupem, quando decalcarem no tecido fica correcto. Aliás, é a única forma de ficar direitinho. Tenham atenção ao colocar o papel na impressora, o lado liso da folha fica virado para cima porque o que queremos imprimir é o lado mais texturado. Por via das dúvidas vejam as instruções de impressão do papel na embalagem.
Após terem o texto/imagem impresso, recortem e coloquem-no em cima do tecido que pretendem decalcar. Ou seja, o texto/imagem tem de ficar virado para o tecido, tal como vos apresento na foto.


Depois, com o ferro bem quente (sem água/vapor), passem-no por cima do papel e não tenham receio de passar o ferro as vezes que forem necessárias, o decalque só resulta se formos persistentes. Claro que depende de imagem para imagem, conforme o tamanho das mesmas, mas insistam bem. As primeiras que fiz ficaram meio sumidas por não ter insistido. Estava ansiosa por ver o resultado e pimba! asneira. Portanto, há que ter paciência e passar, passar, passar uns bons segundos, quanto mais calor o papel receber melhor fica o decalque.


A seguir e sem deixar o papel arrefecer descolem-no do tecido. E o resultado é este!
Agora terei de colocá-las nas minhas mantas. Desafiaram-me para as levar a uma loja no Porto, daí as etiquetas. Caso fiquem por lá, depois digo-vos onde é... para os mais curiosos.

Até já
Ana Lado B

domingo, 26 de abril de 2015

Cá em casa gostamos... continuação

domingo, 26 de abril de 2015
Existe um armário na minha cozinha que quando se abrem as portas é este o panorama! e isto não é tudo... tenho mais umas dezenas de revistas que estou a coleccionar e a empilhar até lhes arranjar um espaço... 

Gosto muito de cozinhar. Estou sempre a experimentar novos paladares, dá-me gozo... e vontade de comer eheheh. Bom, às vezes também acontece não me apetecer ir para a cozinha. Tem dias, uns sim, uns não. Mas folhear os meus livros e marcar as receitas que quero experimentar é uma rotina, não nego. Depois é (sempre) assim, a primeira vez que experimento determinada receita sou capaz de a seguir tal e qual mas acreditem que acontece uma vez só. É verdade, quem come da minha comida sabe que nunca repito uma receita, quando volto a fazê-la ou suprimo ou acrescento ingredientes. Não por nada, não porque tenha achado que o resultado não foi bom, nada disso, é só porque gosto de experimentar, de inventar. Digamos que a minha pilha de livros e revistas são a fonte de inspiração para as minhas alquimias culinárias ;)

Há uns dias mostrei-vos uns acompanhamentos que adoro. Hoje mostro-vos o que acompanharam. Existem milhentas formas de fazer carne assada, que aliás é um dos meus pratos favoritos. Pensando bem gosto de tudo o que seja assado no forno, sejam carnes, peixes, legumes, tubérculos... tudo! Pois... e nunca faço um assado igual... este adaptei ligeiramente de uma Magazine, revista distribuída por uma grande superfície onde faço quase sempre as minhas compras por ser muito perto de casa.


Cá em casa usei oito costeletas do lombo. Primeiro, fazemos uma marinada para as costeletas, assim: alhos esmagados, folhas de louro, pés de tomilho fresco, regamos com um fio de azeite, vinho branco e temperamos com sal e pimenta. Atenção, quando falo em pimenta nunca mas nunca me refiro àquela coisa que se vende em frascos ou pacotes a que chamam pimenta branca refinada... bah!!! A pimenta de que falo é aquela moída no momento e por norma uso grãos da preta por ser extremamente apaladada, aromática e acho que fica bem em todos os cozinhados. Portanto, primeiro marinar as costeletas e deixá-las repousar durante umas horas. A seguir ralamos queijo cheddar, ou outro que tenhamos à mão, queijo da ilha, queijo mozzarella, queijo parmesão, chévre, etc. Muito sinceramente, e para quem goste, acho que queijo azul também deve ficar muito bem. Seguindo. Acrescentamos ao queijo pedacinhos de noz, se houver em casa, se não podem usar só o queijo. Retiramos as costeletas da marinada e reservamos esta. Recheamos as costeletas com o queijo ralado, como se fizéssemos uma sandes com duas costeletas e dispomo-las num tabuleiro refractário. Regamos as costeletas com a marinada e forno! Delicious ;)
Pronto, uma vez mais um manjar simples e fácil. Experimentem!


Já agora, aproveito o post para vos dizer que estou a avançar com mais um dos trabalhos de crochet que tinha em mãos. Lembram-se deste post? Estou a caminho de um resultado final. Ainda falta algum tempo mas vai andando. Será uma experiência, algo que nunca fiz. Querem dar mais alguns palpites sobre o que será?

Termino por aqui, desejando-vos uma semana fantástica, mesmo com a chuva que não nos deixa...
Até já
Ana Lado B

sábado, 25 de abril de 2015

Sempre!!!

sábado, 25 de abril de 2015
imagens retiradas da net, registadas no dia 25 de Abril de 1974


Hoje não vou falar de crochet. Às vezes é importante falar de outras paixões e hoje quero falar-vos da que me enche o peito por poder livremente vir aqui a este canto, sempre que acho, partilhar convosco o meu lado b livremente, como gosto, bem entendo e me apetece. Eu tinha cinco anos no dia 25 de Abril de 1974. Embora muito pequena, guardo algumas memórias e são boas, tão boas. Não consigo dar-lhes uma cronologia, não sei as horas nem os dias, mas registo na memória as saídas à rua com os meus pais, a euforia, a alegria deles e de todos, as pinturas de murais sobre a revolução no jardim da cidade (Almada), pintados por nós crianças. Lembro-me do meu pai entrar em casa com um ramo de cravos gigante e oferecê-lo à minha mãe. Lembro-me de os ver abraçados, muito abraçados. Lembro-me da minha avó repetir e repetir "podemos falar!" e rir-se, rir-se muito e estar feliz. Lembro-me de estar com todos eles no meio de um mar de gente. Às vezes penso como gostava de ter sido adolescente naquela época para ter vivido e sentido tudo com outra intensidade. Mas depois, penso que ser filha da revolução não me fica atrás e sinto-me grata por sê-lo. Aquilo que foi conquistado nesse mesmo dia não podemos deixar nunca que nos retirem. A Liberdade de podermos ter, estar, ser e dizer é tão preciosa. Não pode passar-nos ao lado, não a podemos ter como um dado adquirido porque esta conquista-se. Eu vivi isso, aprendi isso. Ontem, no meu lado a, reuni com um jovem designer que pelo meio da conversa me disse "... amanhã vai ser um sábado como outro qualquer...", respondi-lhe que para que ele pudesse estar ali a apresentar as suas ideias criativas tão livremente, a contestar as dos outros e a defender as suas, que para isso, houve um longo caminho a percorrer por toda uma geração, houve capitães que saíram à rua para que pudéssemos ser como ele, livres, para que essa liberdade não nos fosse mais retirada, nem às gerações futuras e que portanto não devia ser "um sábado como outro qualquer". Olhou para mim sem nada dizer e provavelmente reflectiu, provavelmente. E nós? que andamos aqui pela blogosfera, seja com que assunto for, ligados ao mundo a falar das nossas paixões, a fazer partilhas que pertencem às nossas vidas, a escrever as nossas palavras, a revelar as nossas ideias, o nosso sentir,  e sem castrações, sem mutilações ao que pensamos, ao que  fazemos, ao que dizemos... não, sem aquele dia não seria possível, de todo! Não interessa a ideologia, não interessa a bandeira, interessa a Liberdade e interessa que TODOS saibamos preservá-la, tê-la, senti-la como um bem grandioso, que é nosso e que nunca poderemos perder.
Por tudo isto e muito mais, para mim o 25 de Abril é Sempre!!!

Bem hajam
Até já
Ana Lado B

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Como sempre...

sexta-feira, 24 de abril de 2015



Como sempre, o meu dia começou cedo, 07h20 hora do costume. Como sempre, vou à cozinha e tomo o pequeno-almoço, não consigo começar o dia sem aconchegar o estômago, impossível. Como sempre, abraço o meu R adolescente, o primeiro a sair da cama. Como sempre, abraço-o novamente antes dele sair de casa e se aventurar a mais um dia de descobertas com os colegas. Como sempre, vou acordar o meu R mais novo. Como sempre, ele sai da cama e desloca-se ainda a dormitar casa fora até à mesa do pequeno almoço onde uma tigela de flocos de cereais o aguarda. Como sempre, e depois de um abracinho muito apertado, ele sai para a escola levado pelo pai R. Como sempre, sento-me em frente ao meu computador. Como sempre, são quase nove da manhã e o dia no meu Lado B começa. Mas como nunca me aconteceu, hoje sinto-me especialmente grata por vos sentir aqui neste meu canto. Sinto-me sempre, mas hoje especialmente. Com certeza que é o sentido de liberdade que me inunda. Com certeza, nunca vou deixar que mo tirem. Muito obrigada pelas vossas visitas que têm sido tantas e tantas. Muito obrigada pelas vossas palavras. Muito obrigada por só me espreitarem, mesmo sem palavras. Muito obrigada, por tudo.

Até já
Ana Lado B

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Cá em casa gostamos!

quarta-feira, 22 de abril de 2015
Hoje vamos dar um gostinho ao paladar.
Partilho convosco algumas iguarias que adoro.
São simples, mesmo muito simples de confeccionar, são óptimos acompanhamentos e marcam toda a diferença.
Cá vai


Maçãs no forno. Partam maçãs em meias luas ou em quartos, como preferirem, e coloquem-nas dentro duma travessa refractária. Reguem com um fio de azeite e espalhem por cima uns raminhos de tomilho fresco. Levem ao forno, pré-aquecido a 200º, e deixem cozinhar até estarem assadas. E já está!


Uvas caramelizadas, hum... muito bom!
Peguem num cacho de uvas e retirem todos os bagos. Tronquinho ao lixo! Numa frigideira aquecida coloquem um pedaço de manteiga a gosto. A quantidade de manteiga varia conforme a quantidade de uvas. Imaginemos que para um cacho grande podemos usar uma colher de sopa de manteiga.
Mal a manteiga derreta na frigideira (cuidado para não queimar, fica com gosto amargo...), atirem as uvas lá para dentro e polvilhem-nas com açúcar amarelo a gosto. Peguem no cabo da frigideira e agitem-na de forma a que o açúcar e a manteiga envolvam todos os bagos. Quando estes começarem a rebentar a pele, eu faço e gosto assim, é porque estão prontos. Sirvam de imediato!

Estas duas iguarias são magníficas para acompanhar, por exemplo, carne assada. Reduzam as quantidades de batata e arroz e substituam por acompanhamentos como estes. Não vão arrepender-se.

Estes acompanhamentos são muito outonais mas como a chuva teima em revisitar-nos... cola!
Bom apetite ;)

Até já
Ana Lado B

domingo, 19 de abril de 2015

Watermelon # 2

domingo, 19 de abril de 2015
Terminei-a!
Está como imaginei: alegre, garrida e fresca. Gosto do resultado final.
Ontem, quando terminei o último canto ainda fiz mais um pormenor mas decidi não o acrescentar... não sei mas de repente achei que podia ser demais e não seria a cereja no topo do bolo. Então deixei ficar assim, simples, não me arrependi.





Foi a selecção destas cores, que adoro ver juntas, que me levaram a dar o nome de Melancia à manta e só por si remetem-nos à imagem do fruto mas achei que precisava de brincar um bocadinho mais e decidi colocar umas pequenas "talhadas" em cada canto ;) 



A Watermelon Blanket ou Manta Melancia, acabou por medir, aproximadamente 0,74m x 0,74m e foi executada em fio 50% algodão, 50% acrílico. É o "New Cancun" da Katia. 




Ainda não tinha usado o meu quintal para fotografar os meus trabalhos e após esta pequena experiência acho-o um cenário perfeito! Falta acrescentar-lhe um pequeno estendal, que dá sempre muito jeito, principalmente para mostrar as mantas completas, estendendo-as literalmente. De resto, um acessório aqui, um pequeno adereço acolá e terei muito para explorar.

Espero que gostem da minha mais jovem criação. Com certeza não será nada de outro mundo, e nem sequer inventei a pólvora, mas de qualquer forma é um objecto único, criado com muito carinho e que me acompanhou em horas de muito relaxamento e descanso. É um prazer crochetar. Aah e o croché é sem dúvida a minha dynamic yoga.
E poder partilhá-lo convosco é ainda melhor!!!

E sabem, gostei tanto de trabalhar estas cores e da ideia que não me apetece ficar por aqui... acho que vou executar mais alguns trabalhos dentro desta temática ;)

Desejo-vos uma semana doce e com uma certa frescura, tal como uma suculenta talhada de melancia. 
Até já
Ana Lado B



domingo, 12 de abril de 2015

Watermelon #1

domingo, 12 de abril de 2015
Watermelon... soa-me tão bem aos ouvidos esta palavra... sim, melancia também!
Em inglês a imagem da água ganha muita presença, em português salta-me a imagem da fatia de casca verde, e polpa vermelho rosado com pintas pretas, as pevides. Isto é o que os meus olhos vêem, são os registos na minha memória. Mas há algo na palavra, seja inglesa ou portuguesa, que salta aos sentidos - a frescura. Não há melhor fruto para nos matar a sede, para nos refrescar, nos hidratar. Estou a escrever estas palavras e está a dar-me sede, eheheh... pausa para um copo de água ;)


Precisamente num brinde ao Verão, que não tarda está aí, decidi fazer uma manta com o nome Melancia ou uma Watermelon Blanket. Já vos a apresentei na publicação "De volta!" e passados cinco dias já quase cheguei ao final da primeira parte e não tarda estou na barra. Eu até a queria ter já pronta hoje mas... pois, já sabem, o Lado A têm-me puxado para ele. Mas também para a terminar preciso de comprar mais fio, portanto, amanhã será um novo dia ;) Entretanto vejam como a pequena está a ficar...





Vai ficar bonita, acho. E estou aqui a imaginar uns pormenores finais que são bem capaz de resultar... veremos.

E já agora mostro-vos uma das experiências que fiz com o fio de algodão. Já está feito há algum tempo mas ainda não tinha tido oportunidade de fotografar. Nada de extraordinário, somente mais uma ideia para me entreter ;)



É uma capa para caderno ou livro. Não tem nada de especial mas a união deste azul com o vermelho, faz-me bem aos olhos :))

Desejo-vos uma excelente tarde domingueira e uma semana fabulástica!
Até já
Ana Lado B


terça-feira, 7 de abril de 2015

De volta!!!

terça-feira, 7 de abril de 2015
A publicação de hoje merece um enorme OLÁÁÁ!!!!
Ena, há já duas semanas que não partilhava nada convosco... é claro que há uma forte explicação: o meu Lado A reclamou todo o meu tempo e concentração. De vez em quando é mesmo assim, sem me avisar, e não há nada a fazer a não ser respeitar a sua necessidade. Mas como gosto muito da minha profissão, não custa dar-lhe essa total e absoluta dedicação. Quando assim é, embora cansativo, sabe sempre bem!

Mas aqui estou, neste meu cantinho que tanto me consola :) Confesso que fiz umas escapadinhas e de vez em quando espreitei os blogues para ver as novidades... é difícil resistir, vocês sabem. Ah, mas atenção, durante estas duas semanas é um facto que não pude despender do meu tempo para criar publicações mas houve algo impossível de pôr de lado - os meus crochés! Foi raro o dia em que não tirei um bocadinho que fosse para estar com os fios e as agulhas. E olhem que estão a nascer trabalhos bem engraçados. Tenho dois definitivos em mãos. Digo definitivos porque nem sempre os inicio com a certeza de que vou chegar a um resultado final, aliás durante os últimos dois meses andei a experimentar cores, esquemas, modelos... e precisamente porque experimentei, agora sim, tenho dois que vão ter um final e espero que seja feliz :)

Mas antes de vos mostrar, quero partilhar convosco o fim-de-semana que passou. Após dias intensos com os neurónios sempre a postos, precisei de lhes dar descanso, de recarregar as baterias, portanto. E que fiz? Pois claro, fui para o meu retiro! Umas mini férias de Páscoa no campismo. Ai, soube pela vida! Esteve um tempo extraordinário. Estão a ver aqueles cd's que se vendem com os sons da natureza para a malta relaxar? Igual, mas sem cd :) Durante dois dias só se ouvia o chilrear dos pássaros, o mar lá ao fundo e... um "mãe!" de vez em quando. Também foi fantástico para os meus pequenos R's. Um final de férias longe da cidade, calminho mas animado ;)

Tudo começou com uma ida ao super-mercado da zona para fazermos algum abastecimento. Num terreno mesmo em frente à loja, vejam o que encontrámos...

difícil fotografá-las... sempre aos pinotes de um lado para o outro!

e pelo caminho não encontrámos ovos da Páscoa mas encontrámos um pequeno rebanho! 
Tão lindos! O pai R fez festinhas ao carneiro e o bichinho ali ficou a receber os mimos, deliciado.


Tanta lã! Não deve tardar a tosquia, pois estavam carregadinhos. Não sei, mas entendo que deve ser um alívio para os bichos verem-se livres daquele peso... e um agrado para quem mais tarde vai poder trabalhar a matéria-prima, já pronta a tecer - Nós! :))


E chegados ao parque, isto... já viram como estava o céu? Esplendoroso!
Em breve esta árvore vai estar repleta de folhas e dará sombra ao nosso sítio nos dias quentes de Verão. Tão bom! E no dia seguinte fomos espreitar a praia...



De facto, dois dias inspiradores, tenha sido o tempo, a temperatura amena que se fez sentir, a paisagem, as curiosidades, o sossego, a calma, muita calma. Fui passando o tempo, de forma tranquila sem tarefas obrigatórias. Decidi procurar umas bandeirolas que fiz no Verão passado para enfeitar uma zona da rulote. Estavam já terminadas mas com umas pontas por rematar. Rematei e até as liguei umas às outras. Da próxima vez que lá for coloco-as no sítio pensado e mostro-vos o resultado. Vão com certeza alegrar o canto escolhido ;)


Cá estão elas, coitadas, todas tortas e vincadas por terem estado guardadas tantos meses... trouxe-as para casa para as colocar em alfinetes, a ver se ficam direitas. Ficam, claro que sim.


Oh p'ra elas todas pimponas no meio das minhas almofadas e manta multicolor. Lindas, adoro o conjunto das cores! Não é nesta zona que vão ficar mas farão pandã com o ambiente garrido que escolhi para o décor do nosso retiro. Ah pois é, haja alegria!


Gosto muito do resultado destas pequenas ;) 

Retirei a ideia do blog da Claire, aliás um dos que sigo desde que me meti nestas andanças, identifico-me muito com as criações dela. Bom, de momento já não é um blog mas sim um site By Claire.  É engraçado, acompanho-a à cerca de dois anos e nem imaginam o que evoluiu. Após a publicação de um pequeno livro com as suas criações em croché, em parceria com uma amiga que também tem um blog, este, de repente voou! Já vai para aí no 5º livro, não sei bem, perdi a conta. Pena não existirem traduzidos, pelo menos em inglês. Elas são holandesas... em tempos entrei em contacto directo com a Claire e disse-lhe que seria muito bom pensar em edições inglesas, visto ter tantos seguidores no resto da Europa... foi de uma grande simpatia mas, que eu saiba, até agora não deu em nada, só mesmo em holandês. 

Ui, esta publicação já vai longa, mas quero ainda mostrar-vos um dos trabalhos que trago em mãos. Depois de muito experimentar, fazer, desmanchar, pensar, pesquisar, blá, blá, blá... voltei às origens! Estou a fazer uma nova manta de bébé, com um certo cheiro a melancia ;)


Estava com outro trabalho em mãos, o tal que já vos falei, mas é mais minucioso, todo trabalhado em pequenos granny squares e estava a precisar de fazer qualquer coisa mais fluída. Pronto, não hesitei e comecei esta que já trago na ideia há algum tempo. Vai chamar-se Manta Melancia! Fresquinha para o Verão ;)  O outro trabalho também tem o verde, o vermelho e o rosa mas em vez de branco, uso preto. Já os mostrei, aqui. Na altura até vos desafiei a adivinharem o que seria que ia fazer com os quadradinhos... podem continuar a adivinhar! Gosto muito de receber os vossos comentários, muito mesmo.
E por hoje não vos tomo mais tempo. Penso que vou conseguir estar novamente mais presente aqui no meu Lado B, aquele que faz bem aos olhos ;)

Bem hajam e...
até já!
Ana Lado B

Faz bem aos olhos | Crochet - Crafts - Lifestyle © 2014